CASO DO ATENTADO AO DIRETOR ANTIDROGAS PAULO AMÓDIO

paulo-amodio-blogEsta foto foi tirada duas semanas antes ao atentado

PRONUNCIAMENTO

Sei da aflição e expectativa de centenas de pessoas em relação ao que aconteceu comigo, e me sinto honrado, pela preocupação de todos com a minha vida, eu não tinha dimensão, que tenho tantos amigos que me amam de verdade, desta forma resolvi dar este pronunciamento: O inquérito policial esta bem formatado e adiantado, o delegado da Polícia Civil, Dr. Nilson Diniz vem desempenhando um trabalho com competência, dedicação e responsabilidade. Muitos amigos me cobram sobre a punição destes bandidos e com razão, e comungo da mesma expectativa, porem a situações que não são resolvidas e realizadas da maneira que queremos, a justiça investigativa é muito técnica e precisa em alguns crimes. Diante deste fato a condução do inquérito colheu e deverá colher mais informações em oitivas, já foram ouvidas cerca de quinze pessoas, que contribuíram muito para a elucidação dos fatos e o enriquecimento do inquérito, baseados em fundamentos precisos, que acredito e tenho certeza absoluta, que em breve teremos notícias, e os culpados, bandidos travestidos de cidadão que circulam em Pontal do Paraná, que muitas das vezes você se depara com eles em restaurantes, supermercado e não sabe que na sua frente esta um delinquente assassino, que poderá acabar com sua vida e da sua família em segundos. Espero que esses vermes da sociedade sejam colocados atrás das grades, local que deverão ficar no mínimo 30 anos. Meus amigos me perguntam qual o sentimento depois desta agressão a minha vida? Eu respondo que Deus sabe de tudo, e ele conduzira este inquérito somente a um fim específico, a verdade, aqueles que cometeram este crime não vão ficar impunes, disso eu tenho certeza absoluta e agora consigo enxergar com mais clareza que a verdade esta próxima de ser elucidada. Aproveito a oportunidade de agradecer as orações de centenas e centenas de amigos, familiares e pessoas que não eram do meu relacionamento e convívio, que hoje me encontram em diversos locais, e dizem que oraram muito por mim. Para estas pessoas e suas famílias, desejo que Deus recompense em dobro tudo aquilo que me desejaram. Ainda me encontro em recuperação, limitado em algumas atividades, minha cirurgia foi muito delicada, perdi o baço, tive perfurações no estomago, pulmão e intestino, mais o importante é que estou vivo, desempenhando minhas funções e meu trabalho com muita satisfação, dedicação, carinho e responsabilidade na Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos – Departamento de Políticas Públicas Sobre Drogas, ajudando a direcionar Pontal do Paraná para um município livre das drogas, e cuidar e zelar por aqueles que infelizmente se encontram no mundo das drogas, Deus tem me dado discernimento e sabedoria, e é com esse pensamento que me despeço. Antes quero agradecer ao Nelson Mademar meu secretário e ao Prefeito Edgar Rossi pela confiança depositada pelo meu trabalho. Acredite na justiça do homem e de Deus, ela tarda mais não falha, sendo sempre justa e perfeita. Deus abençoe a todos nós, e um enorme abraço.

Paulo Amódio

Anúncios

Débitos da casa da praia devem ser pagos antes de ir para o litoral

hidrometroA Sanepar recomenda aos proprietários de imóveis no litoral paranaense que, antes de iniciar a temporada de verão, verifiquem se há débitos pendentes e eventual suspensão no fornecimento de água. Para saber se as contas estão em dia ou não, basta ligar para o 0800 200 0115 e informar o número da matrícula ou o endereço completo.

Muitas pessoas deixam para pagar as contas em atraso quando chegam no litoral, o que gera filas no atendimento e aumenta significativamente o número de religações de água a ser executadas em curto período. O tempo padrão para religar a água do cliente é de 24 horas. Para evitar transtornos, nos dias de maior pico, a Sanepar amplia o total de equipes em campo para executar as religações solicitadas no menor prazo possível. “Mesmo assim, nem sempre é possível atender a todos ao mesmo tempo”, explica o gerente da Sanepar no Litoral, Romilson Gonçalves.

As contas vencidas podem ser pagas em qualquer cidade do Brasil. Nas centrais de relacionamento da Sanepar é possível solicitar a segunda via da conta. Nas centrais de relacionamento de Matinhos, Pontal do Paraná e Guaratuba, o cliente pode verificar os débitos e emitir a segunda via, utilizando o totem de autoatendimento, equipamento que funciona em parceria com o Detran. Após o pagamento, é necessário pedir a religação da água. Para evitar esquecimento, extravio da conta e aborrecimentos, a Sanepar recomenda que seja autorizado o débito automático da conta de água.

Para facilitar a consulta de débitos e o pagamento de contas em atraso, a Sanepar disponibiliza esta informação no site www.sanepar.com.br . No ícone Serviços Online (no topo da página), dentro do menu Acesso Rápido, basta escolher a opção “Documento para pagamento” e informar a matrícula para emitir o documento.

HORÁRIOS – Durante o período de temporada, a partir do dia 22 de dezembro, as centrais de Matinhos, Pontal do Paraná e Guaratuba atenderão das 8h30 às 17h, sem intervalo para almoço. Nos sábados, 20 e 27 de dezembro e 3 de janeiro, o atendimento aos clientes nestas centrais será das 8h30 às 13h. Nos dias 24 e 31 de dezembro, o atendimento será das 8h30 às 12h. Nos dias 25 de dezembro e 1 de janeiro, não haverá atendimento. Nos dias 26 de dezembro e 2 de janeiro, os clientes serão atendidos das 8h30 às 12h e das 13h30 às 17h.

Morretes e Guaraqueçaba também têm centrais de relacionamento. Em Morretes, o atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 12h e das 13h30 às 17h. Em Guaraqueçaba, a central atende ao público às terças e quintas-feiras, das 8h30 às 12h.

Para mais informações sobre débito automático e pagamento da conta, acesse www.sanepar.com.br. Abra a aba Clientes e veja onde pagar sua conta. Você encontrará a lista dos bancos credenciados e também dos agentes arrecadadores da sua cidade.

“Operação Sossego” já fechou 15 estabelecimentos e prendeu 2 pessoas

Operação VerãoA uma semana do início da Operação Verão, o combate à perturbação do sossego no Litoral do Paraná já contabiliza 15 estabelecimentos fechados, 73 notificações e 2 motoristas presos.

A maioria das irregularidades constatadas no litoral são por falta de adequação à reprodução de música ao vivo e mecanizada, alvará de funcionamento e inadequação no armazenamento de alimentos (ventilação do local de preparo e armazenamento de alimentos). No verão, o maior número de ocorrências acontecem em residências ocupadas por turistas e com o som alto de automóveis.

A Polícia Militar, em parceria com outros órgãos, vem realizando desde o início de novembro fiscalizações e abordagens em locais que possuem denúncias de perturbação de sossego. As operações são nas sextas, sábados e domingos, resultou até agora na fiscalização de 36 estabelecimentos. Durante as ações, 412 veículos e 1.131 pessoas foram abordados (duas acabaram detidas) e 40 Termos Circunstanciados foram registrados pelos policiais militares. As atividades aconteceram nos municípios de Guaratuba, Matinhos, Paranaguá, Pontal do Paraná, Morretes e Antonina.

“A Aifu (Ação Integrada de Fiscalização Urbana) tem realizado um trabalho intensivo em todos os municípios litorâneos, com ações de fiscalização nos estabelecimentos comerciais que possuem denúncias desse tipo de problema. Aliado a isso, também realizamos a Patrulha do Sossego, onde as equipes, acompanhadas por policiais militares do 9º BPM, atendem solicitações via 190 de pessoas reclamando de perturbação de sossego, onde é feita a verificação e adotadas as medidas legais a cada caso”, explicou a coordenadora operacional da AIFU, tenente Francielle Hoflinger.

O chefe do Centro de Operações Policiais Militares (Copom) e da Aifu, major Olavo Vianei, explica que o trabalho consiste em fiscalizar o ruído, a questão sanitária, o alvará, o isolamento acústico, o alvará do meio ambiente para exploração de músicas ao vivo e mecanizadas, além do apoio do Corpo de Bombeiros na verificação do certificado de prevenção de combate a incêndio.

“Muitos bares e casas noturnas exploram a música e acabam não se atentando às normas de utilização deste meio. O estabelecimento precisa ter o alvará da Secretaria do Meio Ambiente, órgão que fiscaliza a reprodução sonora, e o isolamento acústico, necessário para evitar constrangimentos e incômodos a outras pessoas. Sem a regularização, o local passa a ter um potencial”, explicou.

O comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM), major Marcelos Nivaldo da Silva, 60% das solicitações enviadas à PM pelo 190 são relacionadas a casos de perturbação de sossego e por isso a necessidade de agir para reduzir os índices dessa contravenção.

“Nossa atuação tem sido de duas formas: primeiramente, fazemos um trabalho de inteligência, identificando quais são os locais que possuem irregularidades, como falta de alvará e venda de bebidas alcolicas para crianças e adolescentes, notificando os estabelecimentos e, paralelamente, a ação conjunta com a AIFU, que fiscaliza se essas notificações foram corrigidas e combatendo a perturbação de sossego”, afirmou o major Nivaldo.

Para o major Vianei, a fiscalização de estabelecimentos comerciais influencia diretamente na segurança pública dos frequentadores. Segundo ele, o combate aos casos de perturbação de sossego pode inibir o surgimento de delitos mais graves e proporcionar mais segurança aos veranistas e moradores no litoral do estado. “Nossa missão é fazer com que os veranistas e moradores locais, ao desfrutarem dos serviços de um estabelecimento, tenham a tranquilidade de saber que o local atende a todas as exigências de segurança e sanitárias”, disse.

Correio do Litoral

Gerente do Banco do Brasil de Antonina é rendido em casa e obrigado a ir até agência com a família

antoninaUm gerente da agência do Banco do Brasil do centro de Antonina, no litoral do Paraná, foi rendido por doze bandidos dentro de casa na noite desta segunda-feira (8). Ao lado de outras duas pessoas da família, ele foi mantido refém até a agência e obrigado a ceder o código de abertura dos cofres. As informações foram confirmadas pela Polícia Militar (PM) na manhã de hoje. Três pessoas da família foram mantidas reféns, mesmo após a fuga da quadrilha, e liberadas por volta das 11 horas. Cerca de R$ 460 mil de agência bancária foram levados.

A família foi rendida dentro de casa e foi mantida refém por cerca de 12 horas. Eles estavam armados com quatro fuzis, duas metralhadoras, uma pistola e uma arma calibre 12. O gerente, a esposa, os filhos, a cunhada, o cunhado e os sobrinhos que estavam na casa também foram mantidos reféns. Por volta das 8 horas, os suspeitos se deslocaram até o banco para fazer a retirada do dinheiro.

O alarme da agência teria disparado, mas policiais que foram até lá foram informados pelo gerente – que estava sob domínio dos bandidos – que estava tudo bem. “O gerente saiu do banco e informou aos policiais que estava tudo bem. A equipe saiu e pouco tempo depois foi informada que um roubo havia ocorrido naquele endereço”, explica o capitão Stocco Rosa. Cerca de R$ 460 mil de agência bancária foram levados. Após roubarem dinheiro dos cofres, eles fugiram em um carro Ford Fiesta, na cor preta, e no veículo do gerente do banco, um Sendra, na cor preto, levando duas pessoas da família.

Várias viaturas da Polícia Militar (PM), do Serviço Reservado (P2) e um helicóptero oficial fizeram um cerco no local para tentar encontrar o paradeiro dos bandidos. As duas liberadas em seguida na Estrada da Graciosa e encaminhadas, juntamente com o carro recuperado, à delegacia. Os suspeitos não foram localizados.

Bandidos estavam armados com fuzis.

O PROERD – Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência

12

16O PROERD – Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência – começou em 1982, na cidade de Los Angeles, EUA, em parceria com o Departamento de Polícia daquela cidade e escolas. No Brasil o programa foi introduzido no ano de 1992 na cidade do Rio de Janeiro, o qual foi difundido para outros Estados brasileiros.
O PROERD chegou no Paraná no ano 2000 e no ano 2001 foi implantado em Cornélio Procópio, ocasião em que foram formados 320 Proedianos no primeiro semestre.
O Programa é tido hoje como o melhor em prevenção primária, tendo bons resultados comprovados por pesquisas em todos os países onde são desenvolvidos.
O PROERD em Pontal do Paraná é desenvolvido nas Escolas de 1ª a 4ª Séries da rede municipal pela Policial Militar Soldado Juliana, ela é treinada e preparada para desenvolver o lúdico, e através de metodologia especialmente voltada para crianças, o policial passa a mensagem de valorização à vida e à importância de manter-se longe das drogas. Após quatro meses de curso as crianças recebem o certificado PROERD, ocasião que prestam o compromisso e juramento de manterem-se afastados e longe das drogas, que foi a caso desta ultima semana na Escola Municipal Amatuzzi no Balneário de Shangri-la onde receberam os certificados 440 alunos.
Os dois alunos, primeiro e segundo lugar, que se destacaram com a melhor redação receberam um Tablet cada um, doado pela empresa TECHINT para Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos que repassou a doação ao PROERD, para que fizesse a premiação, e o terceiro lugar recebeu uma bicicleta.
Gostaríamos de agradecer a TECHINT através de seu Gerente Administrativo e Financeiro José Carlos, bem como a Assistente Social Patrícia que não mediram esforços para doação destes dois tables.

610

UM MUNDO MELHOR SEM DROGAS

Em 24 horas, Brasil Integrado prende 1.169 pessoas e apreende mais de 3 ton de drogas

178508_OPERACAO_BRASIL_INTEGRADO.jpg;wa6cbfa980dcd4d86fO Ministério da Justiça realizou no dia 5 de dezembro, em 26 estados e no Distrito Federal, a Operação Brasil Integrado – Ação Nacional, que resultou na apreensão de cerca de 3 toneladas de drogas, 40 mil pés de maconha, 1.000 unidades de drogas sintéticas, R$ 128 mil, € 4 mil, 275 armas de fogo, 6,7 mil munições e 1.341 veículos com irregularidades, além de recuperar 62 veículos roubados ou furtados e realizar mais de 145 mil abordagens a pessoas e veículos. Também foram cumpridos 221 mandados de busca, apreensão e prisão, e foram presas 1.169 pessoas em flagrante ou em cumprimento de mandados. Participaram das 24 horas da ação nacional mais de 26 mil profissionais de Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Detran, Força Nacional, Perícia, Corpo de Bombeiros, Sistema Penitenciário, Forças Armadas, Receita Federal, Ibama, Abin, entre outras instituições de 27 unidades federativas do país. O foco básico foi o combate ao tráfico de drogas e armas, e o combate ao crime organizado atuante em organizações financeiras, entre outras atuações. As equipes trabalharam em esquema semelhante ao executado na Copa do Mundo, utilizando os Centros Integrados de Comando e Controle nacional e regionais dos estados que sediaram o Mundial, além de Comitês Estaduais – todos com a mesma metodologia. Foram realizadas ainda 87.693 revistas pessoais, 56.525 abordagens de veículos/embarcações e 1.789 barreiras, 1.092 fiscalizações em edificações, 139 vôos fiscalizados, 3428 bagagens revistadas, 51 intervenções ambientais, R$ 292 mil em autuações fiscais e 76 laudos periciais. Durante os trabalhos, foram utilizadas 36 aeronaves policiais em quase 100 hora/vôo, todas com base em informação de inteligência e com respeito às leis e aos direitos humanos.

DENARC Núcleo Metropolitana deflagra mega operação no litoral e cumpre 36 mandados de prisão

.denarcA Polícia Civil, pela Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), e a Polícia Militar, por meio da Agência de Inteligência e batalhões do 6º Comando Regional (6º CRPM), deflagraram a Operação Banzeiro na madrugada dessa quinta-feira (4), em toda a faixa litorânea do Estado. Foram presas 36 pessoas que encabeçavam o tráfico de drogas na região. A apresentação dos resultados aconteceu no fim da manhã, na 1ª Subdivisão da Polícia Civil, município de Paranaguá. A ação é uma prévia da Operação Verão Paraná 2014/2015, na qual os policiais militares e civis fizeram investigações durante três meses para localizar os suspeitos e depois solicitaram os mandados à Justiça. Dentre os materiais apreendidos estão um colete balístico, um pé de maconha in natura, drogas e armas de fogo. Foram cumpridos 35 mandados durante as ações policiais. Após as diligências, todo o material apreendido e os detidos foram encaminhados até a delegacia onde foram apresentados e, depois, encaminhados para os procedimentos cabíveis. “Essa quadrilha passou a ser acompanhada pelas equipes do Serviço Reservado do 6º CRPM, juntamente com o 9º BPM e a Polícia Civil, que monitoraram os integrantes do grupo para que o cumprimento de mandados fosse realizado. A operação ainda está em andamento e mais pessoas podem ser presas”, conta o comandante da 1ª Companhia do 9º BPM, capitão Nelson Gonçalves. O delegado titular da Denarc, Miguel Stadler, destacou a importância do trabalho integrado entre os policiais militares e os grupos especializados da Polícia Civil, que resultou em mais uma quadrilha retirada das ruas. “A integração entre as forças de segurança foi fundamental para o desmantelamento dessa quadrilha. Por meio desse trabalho conjunto, conseguimos levantar informações dos suspeitos para que pudéssemos solicitar ao Poder Judiciário a emissão dos mandados de busca e de prisão”, completou.

Mais de 200 policiais militares e civis participaram da operação, entre equipes do Serviço Reservado do 6º CRPM, do 9º BPM, da Força Especial de Repressão Antitóxico (Fera), do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), do Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce), da Divisão de Crimes contra o Patrimônio (DCCP), da Divisão de Polícia Especializada (DPE), da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC), da Delegacia de Homicídios  e Proteção à Pessoa (DHPP) e da 1ª Subdivisão Policial de Paranaguá (1ª SDP). “Nós tínhamos a referência de alguns traficantes chefes do tráfico e focamos neles, que ramificavam a droga, distribuindo para várias biqueiras do litoral. Prendendo eles, não combatemos somente o tráfico de drogas, mas também outros delitos paralelos, que são roubos e homicídios vinculados ao tráfico de drogas”, explica o delegado-titular do Núcleo Metropolitano da Divisão Estadual de Narcóticos, Cassio André Dias da Conceição.
Veja o vídeo de como foi a ação da Força Especial de Repressão Antitóxico (FERA)   
http://youtu.be/kdu2x13HiME