Adolescentes correm mais risco de serem assassinados antes dos 19 anos, diz estudo

 

Auto-estimaCerca de três em cada mil adolescentes que tinham 12 anos em 2012 correm o risco de serem assassinados antes de completar 19 anos. Os dados foram divulgados hoje (28) pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o Laboratório de Favelas e o Laboratório de Análises de Violência da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

As informações se referem a cidades com ao menos 100 mil habitantes e apontam para mais de 42 mil homicídios de adolescentes de 12 anos a 18 anos entre 2013 e 2019. A pesquisa analisou dados de 2012 para compor o Índice de Homicídios na Adolescência (IHA), que estimou 3,32 mortes para cada mil habitantes nessa faixa etária. O indicador cresceu 17% em relação a 2011 e foi o maior registrado desde 2005.

Entre 2005 e 2007, a taxa caiu de 2,75 para 2,56, voltando a subir no ano seguinte. Em 2009, o indicador chegou perto de 3, com 2,98 óbitos para mil adolescentes nessa faixa etária, mas voltou a cair em 2011, para 2,84. Em 2012, pela primeira vez, a taxa superou os 3 pontos.

Ao comparar regiões do país, o índice aponta uma situação quase três vezes pior no Nordeste que no Sudeste – regiões que ocupam as duas pontas da taxa de homicídios. Enquanto o Nordeste tem a maior taxa – de 5,97 para cada mil, o Sudeste tem a menor – 2,25 para cada mil.

De acordo com a pesquisa, 36,5% das mortes de adolescentes são causadas por homicídios, enquanto na população em geral o percentual é 4,8%.

Para mudar essa realidade, a Secretaria de Direitos Humanos anunciou a criação de um Grupo de Trabalho Interministral que vai elaborar um Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Letal de Crianças e Adolescentes. O plano vai se inserir nas propostas do governo federal para assumir a responsabilidade pela segurança pública ao lado dos estados e municípios.

 

Denarc prende trio de traficantes no litoral do Paraná

denarcoliciais civis da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), lotados na Operação Verão, prenderam no domingo (25), Roseli de Fatima Damasceno Pszybylski, 44 anos, a “Polaca”, Alex Pinto da Silva, 38 anos, e Ramon Felipe Schiligoski de Mattos, 18 anos, com 45 pedras de crack, uma pedra maior ainda não picada, uma porção de 10 gramas de cocaína e aproximadamente R$ 700,00.

As investigações começaram após denúncias de que ocorria venda de drogas no Balneário Ipacaraí, no município de Matinhos, e que diversos usuários frequentavam a residência de “Polaca” no intuito de adquirir crack e cocaína.

Segundo a delegada Camila Cecconello, responsável pelas investigações, após diligências no local a equipe percebeu a movimentação de usuários que recebiam a droga por meio de um cano no muro da residência.

Em abordagem e revista no interior da casa foram localizadas 45 pedras de crack já embaladas para venda, além de uma pedra maior de crack, uma porção de cocaína e valores em dinheiro trocado.

O trio foi encaminhado à Delegacia de Matinhos e autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.

Segurança pública lança projeto “Balada Legal” em parceria com comerciantes

baladaO Secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Fernando Francischini, anunciou o início da implantação do projeto “Balada Legal”, uma parceira que está sendo desenvolvida com representantes de bares e restaurantes. Ele se reuniu nesta tarde desta segunda-feira (26) com a Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) e a Associação Comercial do Paraná (ACP).

O projeto está integrado à atuação da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu), que fiscaliza estabelecimentos comerciais em todo o Paraná sob a coordenação da Polícia Militar, e conta com a participação de diversos outros órgãos, como Vigilância Sanitária, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros.

“Eu quero dar um formato novo ao projeto da Aifu, por meio de uma parceria com representantes de bares e demais estabelecimentos comerciais. Essa já era uma demanda antiga”, afirmou Francischini. “O projeto ‘Balada Legal’ não é apenas para a balada na noite, mas inclui bar, restaurante, as casas como um todo, que vão ter o nosso respaldo para ser legalizado”, acrescentou.

De acordo com ele, a ideia é criar um selo da Secretaria da Segurança Pública atestando que o estabelecimento atende a todas as normas previstas, como de higiene e de segurança para os clientes. “Desta forma, aquela família, aquele jovem que frequentar determinado local saberá que está chancelado pelo poder público. É algo inédito, uma parceria que podemos fazer com instituições e associações”, complementou o secretário.

FISCALIZAÇÃO – Durante o encontro com os empresários, Francischini ressaltou que não haverá redução no poder de fiscalização dos estabelecimentos, e sim uma regulamentação de forma que os comerciantes poderão ser parceiros.“Nossa determinação é pela atuação diurna da Aifu, só agindo noturnamente em situações pontuais, sem constrangimentos desnecessários. Pode vir um requerimento do Ministério Público dizendo que em determinado local tem que ser verificada a presença de adolescentes, por exemplo”, diz ele.

Participaram da reunião, que ocorreu na sede da Secretaria da Segurança Pública, o subcomandante-geral da Polícia Militar, coronel Nerino Mariano de Brito; o coordenador da Aifu, major Olavo Vianei Francischett Nunes; o presidente da Abrabar, Fábio Aguayo; o representante da ACP, Valter Xavier e outros empresários.

CASAL É PRESO POR SUSPEITA DE TRÁFICO DE DROGAS EM PONTAL DO SUL

crackDurante uma ação policial contra o tráfico de drogas, policiais civis da 1.ª Subdivisão Policial (SDP) de Paranaguá e da Delegacia de Pontal do Paraná, comandada pelo delegado, Nilson Santos Diniz, com o apoio 9.º Batalhão da Polícia Militar, prenderam, na tarde da última terça-feira (20), na Rodoviária de Pontal do Sul, Jaime Antônio de Oliveira e Thays Ticiana Medina, suspeitos de tráfico de drogas. Com a dupla, os policiais apreenderam 445 gramas de crack e 99 gramas de cocaína.

Em Pontal do Paraná aproximadamente 190 moradores recebem Título de Domínio de terrenos urbanos

Edgar e BetoEm solenidade nesta quinta-feira (22) o governador Beto Richa e o prefeito Edgar Rossi realizarão a entrega dos Títulos de Domínio Urbano para aproximadamente 190 moradores do Balneário Guarapari de Pontal do Paraná.

A documentação foi expedida através do Programa de Regularização Fundiária que está sendo executado pelo Instituto de Terras, Cartografia e Geociências (ITCG). Os documentos são de regularização de terras devolutas (áreas que não foram tituladas).

A solenidade será realizada no dia 22 as 18 horas, na Rua São Salvador, 414 no Balneário Guarapari.

Segundo o secretário municipal de Habitação e Assuntos fundiários Luiz Carlos Krezinski, a missão é reduzir as desigualdades sociais entre os cidadãos. Regularizar o que está irregular e viabilizar o acesso à casa própria é garantir uma vida digna as pessoas. Assim, a Secretaria Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários identifica as demandas, formula uma maneira de resolver os problemas e age com transparência, ética e respeito ao cidadão, para regularizar loteamentos clandestinos e construir casas populares. Áreas públicas ocupadas estão sendo regularizadas.

Assessoria de Comunicação
Prefeitura Municipal de Pontal do Paraná
Foto: Roberto Paulo Meissner

CONVOCAÇÃO PARA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA – CONSELHO DE POLÍTICAS PÚBLICAS SOBRE DROGAS

LOGO COMPEDConvocação para Reunião Extraordinária

Devido alguns problemas que fugiram da programação normal das atividades do “Conselho de Políticas Públicas Sobre Drogas”, o presidente convoca a estarem presente nesta reunião para tratarmos da seguinte pauta;

Planejamento 2015

II Fórum de Políticas Públicas Sobre Drogas

Dentre outros assuntos de interesse do conselho

Local: Secretaria Municipal de Cidadania e Direitos Humanos Balneário de Shangri-lá – Avenida Tim Maia s/n

Data: 19/01/2015 – Segunda – Feira
Horário: 09:30 horasQualquer duvida ligar para os seguinte telefone:
3972-7020

Desde já agradeço a compreensão de todos.

Atenciosamente

Edna Dias dos Santos
Secretária Executiva

Operação Lei e Ordem I prende 68 criminosos e apreende 562 celulares

Secretario Francischini

A Polícia Civil do Paraná deflagrou a Operação Lei e Ordem I que culminou na prisão de 68 criminosos na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), nos últimos cinco dias. São 64 homens e quatro mulheres. A ação foi determinada pelo secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Fernando Francischini. “Essa é uma operação permanente para cumprir mandados de prisão, principalmente por roubo, latrocínio, homicídio e tráfico de drogas”, afirma.

Os 68 presos tinham contra eles um total de 100 mandados de prisão. Desse total, 30 são pelo crime de roubo, 17 por homicídio, 11 por furto e cinco por tráfico. Os outros 37 referem-se a outras infrações penais, como estelionato e receptação. “Tirando esses bandidos de circulação evitamos que se cometam outros crimes, o que vai contribuir para a redução dos índices de criminalidade na região e também na Capital”, avalia o delegado-titular da Divisão Policial Metropolitana (DPMetro), Hamilton Cordeiro da Paz Junior.

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil, Julio Cezar dos Reis, a ação continuará em outras divisões policiais do Estado. “Já iniciamos o trabalho de identificação e de planejamento, antes das unidades começarem a ir às ruas”, antecipa.

VISTORIAS EM CARCERAGENS – Como resultado das vistorias feitas em carceragens de delegacias e cadeias públicas do interior do Estado, procedimento determinado pelo secretário da Segurança Pública, houve a apreensão de 562 celulares que estavam com os detentos.

“O resultado se refere a ações desenvolvidas do início do ano até agora, em 120 carceragens vistoriadas, muitas delas, mais de uma vez”, conta o delegado-titular da Divisão Policial do Interior (DPI), Valmir Soccio, que conduziu os trabalhos.

Além dos aparelhos celulares, foram encontrados 295 carregadores, 395 baterias, 156 chips e 363 artefatos e armas artesanais, juntamente com pequenas armas brancas e serras. “Nós não podemos concordar que dentro de uma delegacia de polícia tenhamos presos comandando o crime aqui fora. Então esta é a nova determinação desta equipe e vai ser realizada rotineiramente”, diz o secretário da Segurança Pública.

TORNOZELEIRAS – Francischini ressaltou que a Operação Lei e Ordem I trouxe à tona casos de repercussão nos últimos dias. “Um deles era um preso que estava com uma tornozeleira eletrônica e que tinha um novo mandado de prisão expedido”, disse.

O secretário reafirmou que é a favor do uso da tornozeleira eletrônica para crimes menores, mas que o projeto precisa de correções. “Somos contra a tornozeleira para assaltante, traficante de drogas, membro de facção criminosa e preso já condenado por crime de tráfico de drogas, porte ilegal de armas e outros crimes graves”.

Francischini também contou que se reuniu com o governador Beto Richa para tratar do assunto. “Estamos fazendo uma relação de todos os presos que estão com tornozeleira eletrônica e os crimes aos quais foram condenados. Vamos encaminhar oficialmente nesta tarde ao procurador-geral do Estado, Gilberto Giacóia, para que, conforme entendimento que eu tenho com ele, os profissionais que atuam nas Varas de Execuções Penais possam tomar as medidas cabíveis de acordo com cada caso específico”.

De acordo com o secretário, foi marcada uma reunião com a equipe do Departamento de Execução Penal (Depen) para definir a utilização de outras 3 mil tornozeleiras eletrônicas que estão disponíveis, para os presos que cometeram crimes leves e sem emprego de violência.