PROGRAMAÇÃO – I CONGRESSO ESTADUAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS SOBRE DROGAS

programacao_web - Cópia-page-001A reserva do Hotel na Associação Banestado será aberta em breve
Diária com café da Manhã R$ 55,00
Refeição R$ 20,00

Anúncios

HOMICIDIO EM IPANEMA

Infelizmente mais um homicídio ocorreu em Pontal do Paraná

Neste domingo(30/08), aproximadamente as 19hs, segundo informações de testemunhas, três indivíduos que estavam num veiculo modelo Polo, cor prata, chamaram a ‘vitima,  Marilânda dos Santos Silva, 50 anos, e quando ela foi atender, recebeu vários disparos, entrando em óbito no local.

JOVEM É BALEADO NO BALNEÁRIO SHANGRI-LÁ

Por volta das 04h00 hs da manhã deste domingo 30 de agosto , no balneário de Shangrila, um veiculo Renault Megane de cor preta, passou em frente ao Bar Aloha , e foi efetuado vários disparos, sendo que um dos disparos atingiu Jhonatas dos Santos, no tórax, e foi encaminhado ao Pronto Atendimento 24h de Shangri-lá. a vitima permanece consciente e estável.

Alguns veículos foram atingidos pelos disparos. equipes em patrulhamento no local não lograram êxito na captura dos autores.

SUBSEA PONTAL DO PARANÁ

subsea

Empresa norueguesa que atua no ramo de óleo e gás vai investir R$ 103 milhões em Pontal. Projeto ainda depende de licença ambiental para avançar.
O ministro da Secretaria Especial de Portos, Edinho Araújo, assinou nesta quinta-feira (9) contrato para instalação de Terminal de Uso Privado (TUP) na área da poligonal do Porto de Paranaguá, no município de Pontal do Paraná. A previsão é de que a Subsea 7 do Brasil invista R$ 103 milhões na área para a montagem e o embarque de dutos submarinos, usados na prospecção e exploração de petróleo e gás.

O projeto é o mesmo do anunciado em 2011, quando a empresa de origem norueguesa tentou instalar o TUP, mas esbarrou em imbróglios ambientais. A Subsea ainda não conseguiu uma nova licença autorizando a instalação do terminal, mas o processo está em andamento no Ibama.

A operação do TUP deve gerar cerca de 300 empregos diretos na fase de construção e 700 empregos na fase de operação. O porto será para movimentação de tubos de aço carbono, rígidos e semirrígidos, bem como estruturas e demais componentes de sistemas submarinos.

Para implantar o TUP, a empresa adquiriu um terreno de 2,6 mil hectares em Pontal do Paraná, entre o balneário Shangri-lá e a foz do rio Guaraguaçu. Desse total, 45 hectares (3% da área) serão destinados ao terminal e o restante serão áreas preservadas.

No projeto, está prevista a construção de um píer de acostagem de 300 metros quadrados para a montagem e embarque dos tubos e um cais com plataforma para atracação de barcaças. O prazo de execução previsto para a obra é de 7 meses.
Mesmo na crise
O diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino, comemorou a decisão. “O lado bom do que aconteceu hoje é que mostra que a empresa acredita que o setor vai se recuperar e que é fundamental ter uma logística no Paraná . Mesmo com o atual momento de dificuldade econômica, eles pretendem continuar investindo”, disse.

O vice-presidente sênior da Subsea 7, Victor Bomfim, lembrou que o momento atual é de dificuldades para o setor de óleo e gás, sobretudo pela crise enfrentada pela Petrobras. Ele relatou que a cidade de Macaé, no estado do Rio de Janeiro, lembra Detroit, nos Estados Unidos, que entrou falência depois da crise de 2008.

“É muito difícil investir neste momento, é preciso muita coragem. Mas as perspectivas são boas porque existe óleo de qualidade. É preciso, porém, ver regulamentação sobre a lei do petróleo”, afirmou Bomfim.

Segundo o executivo, a cadeia de petróleo e gás responde por cerca de 15% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e, este ano, esse porcentual ser reduzido à metade. “É muita obra parada. Se não houver movimento rápido, passaremos por perda de valor e de capacitação”, afirmou.

Os terminais portuários de uso privado são instalações portuárias localizadas fora da área do porto público e que, segundo da nova Lei dos Portos, podem ser exploradas mediante autorização, precedida de chamada ou anúncio públicos. O objetivo é aumentar a capacidade portuária e elevar a concorrência, com mais eficiência e menor custo logístico.

 

Traficantes que forneciam drogas para alunos são presos porta da escola

https://i1.wp.com/www.seguranca.pr.gov.br/modules/galeria/uploads/4937/COLEGIO__2.jpg

Uma denúncia anônima feita no 181 levou a polícia a prender nesta sexta-feira (28) dois homens acusados de vender drogas para alunos na porta de uma escola em Londrina. Após a denúncia, policiais fizeram vigilância em frente à escola estadual Dr. Gabriel Carneiro Martins, no bairro Jardim Bancários, e flagrou a ação dos traficantes. Pedro Soares da Silva Filho foi detido em flagrante e um jovem de 16 anos foi apreendido.

Durante as diligências, os policiais perceberam que a dupla atuava sempre no final da tarde, na saída dos alunos da escola, quando os suspeitos se misturavam no meio dos estudantes. Nesta hora, um dos traficantes passava a droga aos estudantes. O comparsa ficava dentro de um carro parado próximo a escola – com a tarefa de fornecer a droga.

Ao abordar a dupla de traficantes, a polícia encontrou um tablete de substância análoga a maconha embalado em plástico filme transparente pesando aproximadamente 1 kg e dinheiro.

“É muito importante que sempre que um pai de família, um aluno ou professor tiver informações sobre crimes ocorrendo próximos às escolas, eles denunciem. A denuncia pelo 181 é encaminhada aos diversos setores policias e difundida ao Batalhão Patrulha Escolar Comunitária para que auxilie no processo de planejamento das ações preventivas nos estabelecimentos de ensino do estado”, explicou o coordenador estadual do 181, capitão Edivan Fragoso.

MUNICÍPIO DE PARANAGUÁ É ANFITRIÃ NA PENÚLTIMA REUNIÃO PARA AS TRATATIVAS DO I CONGRESSO ESTADUAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS SOBRE DROGAS

logo-sec-seguranca-publica-pr1visit.php

11907171_883244648395377_1522168094159871102_n                              11218464_501738859991128_6893253428744718297_n

Dando continuidade as nossas reuniões regionais para tratarmos do I Congresso Estadual de Políticas Públicas SobreDrogas, o município de Paranaguá se mobilizou de forma organizada, comprometida e responsável.

Na data de ontem, 27/08/2015 com a presença de vários profissionais da área de segurança, saúde e educação além de comunidades terapêuticas, Policia Federal, Militar (PROERD) – Civil NUCRIA, PATRONATO Penitenciário Municipal de Pontal do Paraná, representado pela pedagoga Amanda, conseguimos atingir o maior objetivo deste encontro que a união e sensibilização de todos os profissionais ligados ao tema em questão.
Paranaguá já tem um histórico de realizações voltadas a Prevenção do Uso e Abuso de Drogas que vem dando certo, a Guarda Civil Municipal através da Analine e Rosimeire, com a coordenação do seu Diretor Antidrogas Leandro, os trabalhos desenvolvidos por esta equipe comprometida e responsável tem alcançados o objetivo esperado suprindo as necessidades da comunidade.
Este é o sistema que com certeza deverá ser empregado no âmbito regional para que os Planos Municipais obtenha os resultados esperados paralelamente aos Regionais de Políticas Públicas Sobre Drogas.
Parabéns a todos que compareceram neste encontro, vocês com certeza contribuíram com as propostas sugeridas.

Faça sua inscrição pelo site

http://www.politicasobredrogas.pr.gov.br/modules/formulario/formulario.php?codigo=2

Observação: Toda a programação e a logística será publicada o mais breve possível

Dúvidas Ligue

(41) 3972-7020 – 9709-4000 Tim   9962-9090 Viv

11951203_883244418395400_3301942204131687451_n11951203_883244418395400_3301942204131687451_n11951125_883246248395217_8925150667478897072_n11902276_883243935062115_3093388077903193018_n11895971_883244638395378_5381015707870780661_n

HOMICÍDIOS CULPOSOS NO TRÂNSITO

Homicídios culposos no trânsito

apresentam nova queda no Paraná

normal_GRAFICO_QUEDA_10_HCO número de homicídios culposos (sem intenção de matar) no trânsito caiu 10% no Paraná, de janeiro a junho de 2015, na comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados constam em relatório da Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico (Cape) da Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária, divulgado nesta quinta-feira (27).

Em números totais, foram 769 homicídios culposos no Paraná no primeiro semestre de 2015. São 85 casos a menos que em 2014, que registrou 854 mortes nessas condições.

Este é o terceiro ano consecutivo que a redução aparece, na comparação com os primeiros seis meses do ano. Em 2012, foram 1.239 homicídios culposos no trânsito em todo o Estado. Em 2013, 988.

Agora em 2015, a região que registrou a maior queda no índice foi a de Guarapuava, com apenasseis homicídios culposos no trânsito em 2015. Uma diminuição de 81,82% com relação ao ano passado.

Para o aspirante Arthur da Silva Marques, responsável pelo pelotão de trânsito de Guarapuava, os bons números na região são resultados de medidas educativas. “São campanhas e blitze nas ruas para educar e orientar as pessoas sobre como se comportar no trânsito de forma pacífica”. Outro motivo apontado pelo aspirante é a forte fiscalização que acontece na cidade. “Quase semanalmente colocamos nas ruas operações de bloqueio para fiscalizar veículos, inibir condutores embriagados, tirar de circulação veículos em más condições e motoristas sem a Carteira Nacional de Habilitação”, complementou o policial.

A região de Rolândia também apresentou queda significativa no número de homicídios culposos no trânsito, com uma diminuição de 72,41% com relação ao primeiro semestre de 2014. Nas regiões de Telêmaco Borba e Laranjeiras do Sul a queda foi de 40% e na região de Pato Branco os casos diminuíram 40,63%.

Na contramão desses resultados, Curitiba apresentou aumento no número de ocorrências. Foram 10 casos a mais que no ano passado, um acréscimo de 12,5%. E, na Região Metropolitana de Curtiiba, os casos aumentaram 27%.